Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Felicidade Realista

5 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.

Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.

Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar.

É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente.

A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio.

Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.

Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

Martha Medeiros

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Sinceridício

5 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?

Vi o anúncio final do Big Brother, e achei interessante um termo utilizado pelo Bial: sincericídio, mistura de sinceridade com suicídio.

E por que ele utilizou este termo? Bom, é que o participante que foi eliminado disse verdades (segundo conceito dele, é claro) de um modo extremamente ríspido e deseducado. Dizia aos berros que isso, que aquilo, e que era verdade, de que por isso dizia.

A princípio já questiono a questão da verdade, já que ela é sempre relativa, e talvez seja impossível de obtê-la. O ato é um só, porém como cada pessoa vê, interpreta, reage é diferente. Como ouvi em uma música, ser o “dono da verdade” é a mentira mais contada. E mesmo considerando que realmente o que o participante disse fosse verdade, isso jamais daria o direito dele dizê-las de modo mal educado. Diplomacia, gentileza, educação, empatia são excelentes ferramentas para nos ajudarem a dizer a verdade sem ofender.

E aprendi na minha vida isso, com algumas pancadas, é verdade. Sempre enchi o peito para falar que a verdade era a verdade, portanto falava e ponto. Depois de muito tempo aprendi que tão importante quanto falar é o modo como falar.

Lembro-me do Carlos de anos atrás e o vejo dizendo a verdade, porém de uma forma que certamente não agradava nem um pouco as pessoas que ouviram, e aquele mesmo Carlos não entendendo porque as pessoas não gostavam, já que o que estava sendo dito era a verdade (a minha) e para o bem delas. Felizmente a gente cresce, e além da idade ganhamos maturidade, e aprendemos que as coisas não precisam ser a ferro e fogo, que pessoas são diferentes, que verdades são relativas e que educação permite grandes avanços.

Hoje continuo dizendo as minhas verdades, porém procuro fazê-las de um modo mais educado (ou polido, como gosto de dizer), para aumentar a chance da pessoa que está ouvindo realmente ouvir o que estou dizendo, ao invés de deixar entrar por um ouvido e sair pelo outro, e neste caminho gerar uma grande raiva para com quem disse.

Sinceridade é algo que sempre deve ser buscado, deve ser um objetivo da vida de todos, pois somente assim poderemos ter uma sociedade clara, mais justa, mais humana, sem aparências, disposta a ver seus erros e lutar para saná-los, mas se não vier acompanhado de educação, cometeremos o sincericídio.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Nosso maltratado português

6 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Vejo a cada dia nossa língua mãe adoecendo e perdendo sua vitalidade e beleza. É um maltrato sobre outro, em todos os níveis, por qualquer classe social.

Sei que a língua é algo vivo, que muda, e que o português que falávamos e escrevíamos até o ano passado já é diferente do atual, e muito mais diferente do de 1 século atrás, mais ainda do tempo da colonização, mas o fato de não ser eterna, rígida não dá o direito de 'haçaçinarem' a lingua.

Ela é composta de regras, grafias, sintaxe, concordância, tudo para que todos possam se comunicar de uma bela forma, que suas idéias possam ser expostas de uma forma clara, direta, objetiva.

E antes o que era erro agora é moda, é coisa de gente nova, da geração internet. 'Iskrever erradu' é o certo, e quem não adere é cafona, retrógrado, careta ou qualquer outro sinônimo que talvez os que assim escrevem desconheçam.

O que tenho visto de coisas medonhas é uma enormidade, e olha que não tenho alunos. O que vejo é em lojas, anúncios de TV, jornais, ou seja, em lugares onde a exigência para com o bom português é maior.

Recentemente estive em uma loja onde havia um aviso, perto do provador:

"Proibido a entrada com mUchilas"

Frase extremamente curta, porém com 2 erros. O gritando é muchila. E o outro é o 'proibido a entrada'. Poderia escrever 'proibida a entrada' ou 'proibido entrada', mas não 'proibido a entrada'. E isso não estava feito a mão, mas sim impresso, e certamente quem tem acesso a computador deveria ter um nível um pouco melhor. E o pior, e as outras pessoas que lá trabalham? Será que ninguém sabia que o correto é mOchila? A primeira coisa que vi foi isso, e se lá trabalhasse, já teria dado um jeito de consertar.

Em restaurantes eu sempre olho como escrevem o nome das comidas. Um erro clássico é o 'lazanha', e isso vi em vários. Mas recentemente vi uma comida com o nome 'frango xadres'. Isso mesmo, com S. O que acho estarrecedor é que eles sempre fazem esta comida, e o que eles precisam escrever é limitado, simples de ser certificado.

Continuando na linha alimentícia, em uma churrascaria, de certo nível na cidade, estava estampado no belo cardápio 'fraUdinha'. Optei por outra carne, por receio do que poderia vir caso eu tivesse escolhido este tipo. Até falei para o garçom, e ele me falou que estava certo, que era desse modo mesmo. Então tá, né?

E as placas de trânsito, de responsabilidade do governo, que possuem o nome cidade onde moro com a grafia errada: Baurú. Isso mesmo, com acento.

E agora na TV acabei de ver uma propaganda sobre concursos públicos. Mas infelizmente não poderei participar, pois o concurso era para pessoas de ambos os sexos, e eu tenho somente um. E acho que poucos poderão prestar, afinal, o índice de hermafroditas não deve ser dos maiores. Certamente eu sei o que eles quiseram dizer, porém eles não disseram. Há uma enorme diferença entre ambos e qualquer.

Com relação a isso, eu também sempre questiono as lojas que colocam em suas vitrines promoção do tipo: "toda a loja com 20% de desconto". E se eu não tenho interesse em comprar a loja toda, mas sim algum item que a loja vende, quanto de desconto eu tenho? Afinal, todo é diferente de qualquer.

Nestes exemplos acima certamente dá para entender o que a pessoa quis (e não quiZ como frequentemente vejo por aí) dizer, porém isso não torna a forma como escreveram certa e clara.

Mas tem situações que realmente muda todo o sentido. Já vi muitos casos, de pessoas até muito bem instruídas, onde não sabem a distinção entre as conjugações verbais, e confundem am com ão. Já teve casos que eu tive que confirmar, pois o que a pessoa disse estava incoerente no contexto. Digamos que eu mandei um documento para alguém e este ficou de repassar para outras. Então eu mando um email e pergunto se os documentos foram entregues, e recebo como retorno: "os fulanos receberão os documentos". Isso significa que eles ainda não receberam, e que no futuro os documentos serão enviados. Mas no caso era o oposto, os documentos já haviam sido enviados, ou seja, "os fulanos receberam os documentos". Am e Ão são a mesma coisa para muitos, não percebem que o primeiro refere-se ao passado, enquanto que o segundo refere-se ao futuro.

E os incontáveis casos de troca entre mais e mas, de mau e mal. O que tem de gente que para contrapor uma idéia acrescenta outra é um festival. Parece que as pessoas só querem somar, somar, somar. É mais para tudo quanto é lado. Acho que em breve teremos publicação da "Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Mal", ou então "A batalha entre o bem e o mau".

Estes foram somente alguns dos exemplos que me recordo de imediato, porém constata uma triste realidade. Não sabemos nem escrever o nosso idioma, mesmo que minimamente.

E de nada adianta este meu texto, afinal, quem se esforça para escrever bem já sabe disso, e quem não se esforça achará besteira, e em qualquer caso, contenta-se com o Word.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Liberdade, pro atividade, resiliência

5 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Liberdade

Como vou me posicionar diante do mundo.
A condição de escolher como vou me posicionar (como eu serei) diante das coisas.
Constitui a essência do homem, a liberdade verdadeira humana, a liberdade perante todas as vinculações (biológica, psicológica, sociológica), a liberdade do espírito em face da natureza. (Psicoterapia e Sentido da Vida. Frankl, Viktor E)

Pro atividade

Ser proativo é mais do que tomar a iniciativa. 
É reconhecer que somos responsáveis pelas nossas próprias escolhas e que temos a liberdade de escolher com base em princípios e valores, mais do que em circunstâncias e condições.
As pessoas proativas são vítimas da mudança e escolhem não ser vítimas, não ser reativas, nem pôr a culpa nos outros. (Stephen R. Covey)

Resiliência

Adaptar-se às situações de forma consciente, sem perder a identidade, e aprender com a experiência, fortalecendo-se.
Habilidade de levantar-se de sobre as adversidades; recuperar-se e “construir” uma vida significativa e produtiva; adaptar-se. (Estado de Arte em Resiliência. Maria Angélica Kotliarenco Ph.D)
Capacidade humana universal para fazer frente às adversidades da vida, superá-las ou, inclusive, ser transformado por elas. (Estado de Arte em Resiliência. Maria Angélica Kotliarenco Ph.D)
Capacidade pela qual as pessoas podem sobrepor-se às experiências negativas e até se fortalecerem no processo de superá-las. (Resiliência em la Escuela. Nan Henderson, Mike M. Milstein.)
Características da pessoa resiliente: Indivíduos socialmente competentes, possuidores de habilidades para a vida tais como: pensamento crítico, a capacidade de resolver problemas e de tomar iniciativa. São firmes em seus propósitos (objetivo / missão) e têm uma visão positiva do seu próprio futuro: têm interesses especiais, metas e motivações para seguir em frente, na escola e na vida. (Resiliência em la Escuela. Nan Henderson, Mike M. Milstein.)
Características típicas da pessoa resiliente: Iniciativa, independência, introspecção, relação, humor, criatividade e moralidade. (Resiliência em la Escuela. Nan Henderson, Mike M. Milstein.)

---

Os termos acima escutei muito no programa de desenvolvimento que fiz, e na pós também. E tenho o prazer de conviver com pessoas que buscam exercer os termos, tirá-los do papel e aplicá-los em suas vidas.
E como é bom exercitar estas palavras, perceber que a vida é um presente, e como tal, podemos fazer o que quiser dela.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Suborno

3 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Eis algo que temos de sobra neste país. É suborno para tudo quanto é lado. Na esfera pública é onde temos os casos mais divulgados, e talvez a maior incidência. É sempre alguém pagando para poder receber algo em troca.  Esta prática ganha os jornais, a mídia e vai de difundindo na sociedade, a tal ponto dela achar que isso é normal (saliento que normal é somente uma coisa estatisticamente favorecida, não tem nada de certo ou errado) e começam a fazer seus subornos diários.

Esta semana vi uma anúncio em meu prédio. Uma pessoa perdeu um MP4 player e pediu que quem encontrasse devolvesse, e que esta pessoa seria recompensada. Para mim, quando se oferece dinheiro em troca de um favor está se subornando a pessoa, para 'motiva-la' a fazer o certo. Eu fico imaginando o que leva uma pessoa a somente devolver algo que é de outra pessoa, e que sabe quem é esta pessoa. Educação, valores, princípios não existem, empatia para imaginar como seria desagradável perder algo não bastam mais? É necessário ter dinheiro para fazer o certo?

Não sei quanto a vocês, mas para mim isso é suborno. Já presenciei casos em que conhecidos perderem o celular. Ligaram e a pessoa que atendeu disse claramente que queria dinheiro para devolver o aparelho. Talvez tenham aprendido na TV. E isso se alastra no país. Também vejo do mesmo modo pais que dizem para os filhos que se eles ficarem quietos comprarão presentes, doces, etc. Como a criança aprenderá a negociar no futuro, e como ela se indignará com os políticos se eles farão exatamente o mesmo que eles aprenderam durante toda a vida?

Não sou contrário a gratidão, que é um reconhecimento e valorização à uma ação feita, mas isso deve ocorrer se o beneficado assim quiser, e sem antecipar tal ação.

Há os que dirão que é assim mesmo, que tem que ser esperto, já que somente os espertos se dão bem. Será mesmo?

Talvez o esperto se dê bem ganhando um dinheiro deste modo, mas certamente ele está perdendo muito devido aos outros espertos, que agem sobre ele e que tem mais "bala na agulha". Ou será que estes espertos possuem uma boa saúde, uma boa escola, um bom transporte?

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

E a nossa educação....

7 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Acabei de ver na TV (09/02/2009) um pronunciamento do Excelentíssimo Sr. Dr. Ministro da Educação falando a respeito da nossa educação, os investimentos feitos e de um índice que mede a “qualidade” do ensino no país. Na primeira medição o índice foi de 3.8 (2005), depois foi para 4.2 (2007) e este ano haverá outra avaliação, pelo que me recordo de nome Prova Brasil.

E no discurso ele pediu para os professores prepararam os alunos para esta prova. Isso mesmo, preparar os alunos para a prova.

Isso é pura manipulação de números, da mais deslavada possível. Ao invés de investirem na educação, nas condições para que o aluno possa aprender e o professor lecionar, investir na educação para que se construa o cidadão, ciente do seu papel, crítico para poder ter suas próprias opiniões e optar por algo melhor no futuro, o Excelentíssimo Sr. Dr. Ministro da Educação pede que os professores preparem o aluno para a prova, inclusive mostrando que há um material de apoio com os itens que cairão e tudo mais. Ou seja, está pegando o que de errado tem nos cursinhos, que é treinar pessoas para passarem em avaliações e colocando na educação pública. O foco agora descaradamente é gerar bons números para os ‘estrangeiros’ verem como é bom a nossa educação e então investir neste país.

Oh, e agora, quem poderá nos ajudar?

Acabei de ver que o governo aplicou uma prova nos professores, para avaliar o nível deles, e de 214 mil 3 mil tiraram zero, isso mesmo erraram todas as perguntas das matérias que lecionavam. E nada acontecerá com estes 'professores', inclusive o sindicato entrou com uma ação para impedir que estes sejam punidos, pois crer que uma prova não pode ser suficiente para tal ação. Vejam o comentário do Gilberto Dimenstein.

Deixo alguns vídeos, um do Jornal da Record, de uma série especial sobre educação,


Outro de um comentário do Alexandre Garcia, no jornal Bom Dia Brasil.


E por último um sobre o poder da leitura.



ps 1. Utilizei o termo Excelentíssimo Sr. Dr. Ministro da Educação pois pessoas de 'nível' adoram ser chamadas de todos os adjetivos adquiridos por eles. Talvez achem que isso os torna melhores, sei lá.
ps 2. Meus parabéns para a mãe do aluno que utilizou os recursos legais para fazer com que o filho não se forme sem aprender nada.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Fanatismo

1 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Acabei de ver na TV uma notícia simplesmente ridícula. Estão vendendo um copo de mate usado, que 'reza a lenda' foi utilizado pelo ator norte americano Thomas Cruise Mapother IV, conhecido popularmente como Tom Cruise.

Pois é, estão leiloando um copo de mate sujo e amassado. Aos que tiverem interesse, vejam no Mercado Livre.

E olha que o valor pedido não é nada insignificante, nada menos que R$ 5.000,00. Ou aproximadamente 11 salários mínimos. E o pior de tudo, não duvido nada que este copo seja vendido. E isso sem comprovação nenhuma, pois as fotos mostram o ator segurando o copo, depois uma embalagem do mesmo produto no lixo.

Deste mesmo ator já houve outro ato similar. Um 'artista' esculpiu o primeiro cocô da filha do ator, e leiloou, e até o momento da reportagem o valor estava em R$ 5.100,00 dólares (vejam matéria).

O que leva um ser humano a se submeter a tal coisa? Não estou me referindo a quem vende, pois estes somente estão se aproveitando da burrice alheia, mas sim aos seres que compram tal coisa. Mesmo que o tal copo tenha sido verdadeiramente utilizado pelo ator, que diferença faz? Continua sendo um copo. Ah, mas é um copo utilizado pelo Tom Cruise. Sim, e daí? Ele deu o copo a você, foi algo ofertado, e consequentemente com valor, ou foi algo jogado no lixo?

Se a lógica for simplesmente ter sido utilizado pela pessoa, daqui a pouco estarão pegando papel higiênico usado e guardando como lembrança (aos que duvidam sugiro que revejam a matéria do cocô da filha do ator).

Ter admiração por alguém é algo plenamente saudável, mas é preciso alguns cuidados. Primeiro a admiração tem que ser pelas atitudes da pessoa, pela postura, pela vida, pelo caráter. Admirar por coisas materiais ou superficiais também é extremamente perigoso. Admirar alguém porque ele é rico, bonito, influente é se desvalorizar, é achar o outro melhor. A admiração tem que ser por boas posturas, formas de agir.

E mesmo nesse caso, é preciso distinguir admiração, respeito, orgulho e referência de obstinação e fanatismo. Não se pode admirar tanto alguém a ponto de querer ser ele, nem ao ponto de crer que qualquer coisa que ele faz é perfeito, e tudo dele é inquestionável.

Os exemplos que citei acima estão explorando o fanatismo, as pessoas que são tão obcedadas por outras que creem que qualquer coisa feita por seu admirado é especial e vale muito dinheiro.

O fanático age sem pensar, é uma obediência cega. Encara tudo como dogmas, que não podem ser questionados, e deixam de ouvir aos outros, e principalmente a si mesma.

Eu também tenho a quem uso de referência, a quem valorizo as atitudes e posturas (prefiro estes termos à fã, pois fã é uma forma reduzida de fanático). Mas paro por aí. Não mato nem morro por isso, nem pago horrores por nada da pessoa. Assim como também jamais venderia, por nenhum valor, algo que me fosse dado por estas pessoas, pois estas coisas (que poderia ser um copo plástico) não possuem valor, e portanto, não podem ser vendidas nem compradas.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Como ter um negócio de sucesso

3 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Quem é que nunca sonhou em ter o próprio negócio, sem chefes, e com chance de ganhar um bom dinheiro? Imagina, algo seu, com a tua cara, teu formato, onde será livre para modificar de acordo com a tua crença e instinto, onde não terá chefes chatos, que pegam no pé. Imagino que um bom percentual das pessoas sonham com isso.

Mas transformar este sonho em realidade não é algo fácil neste país. A burocracia imperante aqui inibe os impulsivos. É tanto documento para pegar, taxas que qualquer pessoa que não tenha vocação de super-herói para por aqui. E olha que nem estou lembrando do trabalho que dá no caso de querer fechar o próprio negócio. Esse sim leva muitos anos e custa muito, mas muito caro mesmo.

Mas você, herói, lutou bravamente e venceu sem ímpeto e as burocracias e enfim conseguiu montar um negócio. Parabéns! Mas este é somente o começo. Ok, você tem o negócio, mas como ter sucesso com ele? Como fazer ele prosperar, ou na atual conjuntura, sobreviver?

Preparem-se, darei a receita para o sucesso. E ‘de grátis’. Juro que não é charlatanismo.

Quem ter um negócio de sucesso? Simplesmente “respeite o cliente”.

É, é isso mesmo, respeitar o cliente, nada mais. Não tem que investir fortuna em marketing, comprar móveis caros para impressionar os clientes, nem exigir roupas impecáveis dos funcionários, nem disponibilizar cafezinho, água e pequenos mimos aos clientes. Basta respeitar.

É uma regra tão poderosa que independe de crise econômica, de setor da economia e qualquer outro fator. E talvez por ser tão simples é que as pessoas não creem, ou talvez por isso não ser vendido nos ‘emibieis’ da vida, afinal, este conselhos nossos pais e avós dão de graça, e o deles tem que ser muito bem pagos.

Quando eu digo respeito não me refiro a cordialidade, dando o sorriso amarelo-Wal Mart, ou servindo cafezinho conforme aprendido em cartilha. Respeito é algo muito diferente. Respeito não é sempre dizer sim ao cliente (o cliente tem sempre razão – blahhhhh), mas sim fazer com que o relacionamento com ele seja feito de forma respeitosa, com valores, princípios, e ciente que ele é quem pode financiar teu sonho.

Aos que quiserem, darei alguns maus exemplos de ocorridos comigo, para mostrar como o desrespeito pode afetar e muito um negócio, como uma bola de neve.

Recentemente comecei a ver alguns orçamentos para a minha casa, e então foi necessário marcar um horário para que a pessoa viesse até minha casa fazer o seu trabalho. E o que ocorreu mais de uma vez? A pessoa não veio no horário. Infelizmente isso não é novidade. E quando falo de respeito, caso não desse para chegar no horário, que ligasse antes, avisando. Pois assim evitaria deu ter que sair do serviço, perder horas de trabalho, me deslocar. Mas nem isso se dão ao trabalho. Depois dizem que a crise está brava.....

Há um tempo atrás precisei tirar umas fotocópias, fui até a empresa com as folhas marcadas para serem tiradas. Perguntei quando estaria pronto, e me falaram que às 13h. Pois bem, cheguei no horário e só para ser atendido levei mais de 15 minutos (será que custava parar para ver se era algo mais rápido?). Quando fui atendido obtive a resposta que não, que ainda não haviam tirado. Era para eu voltar mais tarde. Voltei para o serviço e depois voltei no horário combinado e bingo, ainda estavam tirando. Como estava no meio do caminho continuei lá. Ao terminar a moça perguntou se eu queria que organizasse as folhas (caramba, o serviço delas é somente esse, será que organizar é um ‘plus a mais’?, ou será que tem um tipo de cliente que adora folhas aleatórias?), como já estava perdendo muito tempo disse que não. Voltando ao meu serviço tive que organizar a bagunça delas e minha surpresa é que tiraram errado. Certamente elas começaram tirando do começo para o fim, pararam para atender alguém e depois continuaram do fim para o começo, ou seja, duplicaram páginas e deixaram de tirar de outras, além de terem esquecido de tirar de uma parte. E lá vou eu, hiper feliz, solicitar que acertem a bagunça. Depois dizem que a crise está brava.....

Vou eu então me aventurar em uma lanchonete, e solicito um lanche. Quando cheguei estava bem vazio, sem tumulto. Pois bem, fiquei lá e espero, espero, espero, espero, etc. Quando já estava muito fulo da vida perguntei se demoraria muito e imaginem a resposta, claro que não, estava vindo. E enquanto isso via pessoas chegando, pedindo, comendo e pagando, e eu lá. Depois de muito tempo chegou, mas certamente o gosto já estava péssimo. E quando fui pagar, questionei o motivo da demora, e o que ouvi foi que demorava mesmo, que eles não tinham as coisas prontas, para que ficasse tudo fresco. Acho que eles foram plantar o boi, regar, esperar crescer para poder cortar e pegar a carne. Depois dizem que a crise está brava.....

E finalmente o caso do Wal Mart. Fui lá decidido a comprar um DVD player. Somente gostaria de conversar com o vendedor para ter uma idéia melhor dos recursos disponíveis, pontos bons, pontos ruins. Pedi para um funcionário, mas ele estava ocupado e disse que voltaria. Fiquei esperando. O tempo passa, passa, passa..... Quando ele passou novamente o chamei, mas ele ainda estava ocupado. O tempo passou, passou, passou e eu desisti. Fiquei quase 1h esperando e nada de alguém me atender. E olha que eu estava com o dinheiro, era só decidir qual e pagar. Fui embora e comprei em outro lugar. Depois dizem que a crise está brava.....

Tenho certeza que vocês possuem exemplos similares aos meus. Será que é tão difícil respeitar a pessoa? E depois, quando entrarem em falência, dirão que a culpa é da crise, do mercado, da competitividade, da falta de preparo, do bispo....

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Socorro, eu tenho um plano de saúde

10 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Infelizmente neste país quem não tem um plano de saúde está em maus lençóis, pois a única coisa que a saúde pública neste país tem é o fato de ser pública.

Mas quem tem um plano de saúde não deve se alegrar muito, pois o que eles fazem conosco, pobres clientes, é vergonhoso. É um desrespeito tamanho, e as empresas fazem somente o que a lei exige (quando fazem) e qualquer coisa adicional, que poderia ser um atrativo para clientes ou então um claro sinal de respeito, é plenamente ignorado.

Agora o governo fez uma lei extinguindo a carência, permitindo assim que as pessoas tenham maior flexibilidade para mudar de prestadora. Mas – e tudo neste país tem um mas – a regra não contempla quem tem um plano corporativo, ou seja, um plano de saúde vinculado a uma empresa. Sou leigo em leis, mas gostaria de entender o que está sendo avaliado, se é o profissional Carlos, da empresa X, ou se é a pessoa física Carlos, afinal, a doença acomete a pessoa física, e não o profissional de uma determinada empresa. Mas vai saber o que passa na cabeça de quem faz as leis.....

E com esta regra agora quem se ferrou fui eu, que tinha um plano pessoal – com a carência cumprida planemente – e agora migrei para um plano corporativo. Eu somente mudei de tipo, ou seja, a carência da pessoa física já está cumprida, e caso eu queira voltar para o plano particular certamente minha carência estará zerada, mesmo eu permanecendo na mesma empresa, e já tendo cumprido a carência. É muito bom termos legisladores como os nossos, que realmente prezam pelo bem da população.

E além disso, tem o tratamento que recebemos, que realmente é motivador. Como disse acima, eu tinha um particular, e como migrei para um corporativo precisava cancelar o anterior (na minha cabeça bastaria o sistema deles fazer uma transferência de tipo). Pois bem, liguei no final do mês passado e fui informado que cancelamento somente pessoalmente. Disse que a nova regra para o tipo de serviço deles (regulamentado pelo governo, assim como telefonia, cartão de crédito, passagens aéreas...) exigia que a empresa disponibilizasse uma forma de cancelamento por telefone, assim que o cliente solicitasse. Em vão minha argumentação. Perguntei se havia alternativa, e fui informado que não.

Liguei ontem, depois das 17h perguntando até quando eles ficavam abertos, e ficavam somente até 17h30, inviabilizando minha ida (será que eles pensam que todos tem tempo para sair no meio do serviço?). Pois bem, hoje pela manhã fui lá, e informei que cancelaria o meu plano particular e perguntei se eu teria que pagar pelo mês de fevereiro. O atendente me disse que sim, que o serviço é pré-pago, e que até o último dia do mês eu estaria coberto. Eu disse a ele que não queria estar coberto, mas sim pagar somente pelo que utilizei. Então ele pegou o contrato e me disse que a regra era esta, ou seja, que se a solicitação de cancelamento não ocorresse até o final do mês anterior seria emitido uma nova cobrança. Aqui peço ajuda a algum advogado. Quando eu cancelo (que agora pode ser em qualquer momento) eu somente sou obrigado a pagar até o momento em que utilizei o serviço, certo?

Ele continuou dizendo que nada poderia fazer, pois estava no contrato. Eu disse que o contrato não tem valor caso o que esteja escrito seja ilegal. De nada adianta um contrato assinado se tiver uma cláusula obrigando-me a andar pelado pela cidade no caso de cancelamento. Pode estar assinado até pelo papa, mas isso é ilegal, e portanto não é necessário cumprir. Nada, eu ainda tinha que pagar.

Falei que havia ligado ainda no mês anterior, solicitando o cancelamento, e ele me informou que eu poderia ter enviado um email ou um fax (engraçado, quando perguntei isso eles me informaram que o único modo era pessoalmente). Disse então que houve um erro deles, e que devido a este erro eu pagaria a parcela de fevereiro. Reforcei que o erro foi deles, e ele me perguntou se havia alguma comprovação disso. Hahahahahaha, claro que tem né, eu falo com a empresa e imediatamente eles me mandam via email um documento com toda a conversa. Só podia estar brincando. Então ele falou que se fosse o caso eu deveria entrar na justiça e buscar os meus direitos, e que a empresa estava disposta a arcar com a sentença, caso desfavorável. Achei fantástica a postura, sugerindo entrar na justiça.

Para mim isso é o fim da picada. Como pode uma empresa fazer algo ilegal, passar informações erradas, querer cobrar a mais e ainda por cima não reconhecer o erro e querer acertar as coisas de modo civilizado, sugerindo que eu vá a justiça? Que tipo de empresa é essa? Uma empresa que está interessada em atender bem aos seus clientes – que caso não saiba é quem sustenta tudo – ou simplesmente interessada em se enriquecer, e cometer erros sempre a mais e utilizar a morosidade de (in)justiça brasileira para desmotivar seus clientes?

Como pode uma empresa tratar as pessoas assim? E não estou fazendo nenhuma crítica ao atendente, que sempre me tratou com respeito, e certamente fez o que a empresa manda. Ele não podia fazer nada, pois quem manda o treinou assim.

É, parece o ditado “se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. Não tem para onde correr. De um lado você é mal atendido pelo governo, do outro é mal atendido pela iniciativa privada. E o pior, pagando alto para os dois.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Dificuldades para enriquecer? É tão simples....

8 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Recebi esta grande oportunidade de mudar minha vida. Abaixo a transcrevo:

---

PROGRAMA DE AJUDA MÚTUA ENTRE AMIGOS

 

LEIA ESTE TESTEMUNHO COM MUITA ATENÇÃO, ELE FAZ PARTE DE UM GRANDE NEGÓCIO.

 

 

A paz do Senhor a todos os Irmãos e Amigos

 

Meu nome é NELSON PIRES. Eu sou advogado, hoje aposentado e Pastor da igreja Batista. Há algum tempo, tive problemas financeiros. Eu endividei minha família e meus amigos. Meus cartões de crédito acumularam uma dívida de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), dívidas essas, que eu acumulei tentando montar um negócio para sustentar minha família que é de cinco pessoas. Infelizmente ou felizmente este negócio não deu certo, acabei vivendo a pior crise financeira da minha vida, além do mais não podia baixar a cabeça diante desta crise financeira e como cristão que sou, comecei a orar fervorosamente a Deus pedindo-lhe ajuda e provisão.

 

Logo depois recebi pelo correio o PROGRAMA DE AJUDA MÚTUA CRISTÃ.

Queridos irmãos, por incrível que pareça não conhecia e muito menos mandei pedir o referido programa, simplesmente alguém pegou o meu nome em alguma lista telefônica ou por outro meio que desconheço e me enviou uma proposta do Programa. Após ler repetidas vezes, pude ter certeza que ali estava a resposta de Deus para aquela crise financeira.

 

Naquele momento, mal pude acreditar no que estava diante dos meus olhos, era simplesmente uma máquina de fazer dinheiro, não para me esbanjar nele, mas para eu quitar minhas dívidas, semear na minha vida financeira e de outras pessoas e, o mais importante, entregar o dízimo e oferta na Casa do Senhor.

 

Após pegar o papel e caneta e fazer os cálculos do investimento que iria fazer no programa, concluí que teria no mínimo meu dinheiro de volta, porque pior do que eu estava não poderia ficar e sempre tive o entendimento que o Senhor nos prova até onde suportamos e eu já estava no meu limite. Então, segui as instruções enviando inicialmente 250 cópias pelo correio e o dinheiro começou a chegar! Vagarosamente no inicio. Mas, após três semanas eu estava recebendo bem mais do que eu imaginava. Após três meses o dinheiro parou de chegar.  Por fim fiz um levantamento no meu extrato bancário para verificar quanto havia recebido.

 

Pasmem! Recebi nada menos que R$ 598.494,00 (quinhentos e noventa e oito mil quatrocentos e noventa e quatro reais). Com esse dinheiro tratei de pagar as minhas dividas, comprei uma bela casa e um carro 0km, além de pagar o devido Imposto de Renda. Continuei investindo no programa só que desta vez, mandei mil cartas e em três meses recebi R$ 2.649.180,00 (dois milhões seiscentos e quarenta e nove mil cento e oitenta reais). Com parte deste dinheiro consegui implantar uma escolinha para crianças carentes e também comprar um sítio, onde realizamos festividades para aquelas crianças.

 

Portanto amados, é uma grande oportunidade que Deus está lhe dando para ter vitórias financeiras, sei que é difícil entender como algo tão simples pode mudar de uma hora para outra a sua vida – para mim foi também difícil – mas sei que Deus pega as coisas simples desse mundo para confundir as difíceis.

 

O QUE É O PROGRAMA DE AJUDA MÚTUA CRISTÃ

 

É UM PROGRAMA DE AJUDA PROMOVIDO POR CRISTÃOS E AMIGOS os quais ofertam por livre e espontânea vontade e confirmação de Deus, o valor integral de R$ 12,00 (doze reais) com o propósito de se autobeneficiarem e se ajudarem mutuamente. Sendo o valor depositado em contas correntes de seis (06) pessoas, ou seja, cada pessoa receberá a oferta de R$ 2,00 (dois reais). Base Bíblica: ECLISIASTES. 11-1.

 

A missão do Programa é estimular os cristãos de todas as denominações a ajudarem financeiramente um ao outro por meio de simbólicas ofertas. Veja: 2ºCORÍNTIOS 8.1-5

 

COMO FUNCIONA O PROGRAMA DE AJUDA MÚTUA CRISTÃO

 

1º passo é você ter R$ 12,00 (doze reais)

2º dividir em 6 partes iguais.

3º depositar em 6 contas que se encontram no final da carta

4º faça o maior nº de cópias desta carta (nossos cálculos é de 250) e envie para todos seus irmãos em Cristo ou amigos, por meio de cartas ou e-mail.

 

PROJEÇÃO DE RESULTADOS

 

Dentro de noventa dias você terá surpresa incalculável, assim envie, distribua 250 cópias ou mais, só depende de você!.

 

EXEMPLO: Digamos que você tenha, por exemplo, 3% de retorno, observe o seguinte RACIOCIONIO:

 

  1. Quando são enviadas 250 cartas, 3% são certos, que corresponde mais ou menos à oferta de sete pessoas;
  2. Essas 07 pessoas também se sentirem motivadas e enviarem 250 cartas cada uma, e em seguida 52 pessoas depositarão para você.
  3. Essas 52 pessoas também motivadas pelo Espírito Santo enviaram 250 cartas e 390 pessoas depositarão para você R$ 2,00.
  4. Essas 390 pessoas enviaram 250 cartas e 21.397 pessoas depositam R$ 2,00 cada;
  5. Essas 21.397 pessoas enviam 250 e 164.527 pessoas depositam para você R$ 2,00 cada;

 

Depois disso seu nome não constará mais na lista de ninguém, porém após essa dinâmica você deverá ter recebido R$ 329.054,00 (trezentos e vinte e nove mil e cinqüenta e quatro reais), pode ter certeza – isso funciona sempre, só depende de quantas cartas você enviar. No exemplo acima, você apenas enviou 250 cartas, entretanto, se enviar 500 cartas e receber apenas 3% de retorno, você receberá R$ 658.108,00 (seiscentos e cinqüenta e oito mil e cento e oito reais).

 

Não é jogo, não é sorteio, não é bingo não é loteria, é uma ajuda mútua entre pessoas.

 

É um programa honesto onde todos os participantes são responsáveis pelo sucesso do sistema.

 

3. O investimento é pequeno e acessível a todos, apenas R$ 12,00 e será um motivo de arrecadar dinheiro para realização de seus sonhos.

 

Segue abaixo a lista de seis pessoas em que você investirá com R$ 2,00(dois reais):

 

Nome:                                 Banco                 Agência      Conta

1- Otário 1 da Silva          Itaú                      9999           C/P 999999-999

2- Otário 2 da Silva          Bradesco             9999-9       C/C 99999-9

3- Otário 3 da Silva          Unibanco             9999           C/C 999.999-9

4- Otário 4 da Silva          Bradesco              9999-9      C/C 99999-9

5- Otário 5 da Silva          Bradesco              9999-9      C/C 9999999-9

6- Otário 6 da Silva          Banco do Brasil   9999-9      C/P 9999-9

 

ATENÇÃO

 

Faça tudo de acordo como esta no programa.

 

  1. Depositar primeiro os R$ 2,00 (dois reais) em cada uma das seis pessoas.
  2. Após o depósito, tire o nome da 1º pessoa da lista, pois ele(a) estava em 6º lugar, já chegou em 1º e agora vai sair.
  3. Passe a segunda pessoa para a 1º posição
  4. Passe a terceira pessoa para a 2º posição
  5. Passe a quarta pessoa para a 3º posição
  6. Passe a quinta pessoa para a 4º posição
  7. Passe a sexta pessoa para a 5º posição
  8. E finalmente, insira o seu nome (...) NA SEXTA POSIÇÃO e entregue copias para no mínimo 250 pessoas, ( após ter efetuado os depósitos) por meio de cartas iguais a esta ou em forma de e-mail e aguarde o resultado.

 

 

Deus usa as coisas loucas para confundir os sábios, e trás existência aquilo que não existe para abençoar os seus escolhidos.


---


Viram só que coisa fantástica? É incrível como é fácil deixar todo mundo rico. Todos os participantes investirão módicos R$ 12,00 e receberão milhões. Isso sim é o poder da multiplicação do dinheiro.

Fico *^%#%^(&* da vida com esse tipo de coisa que vive. Deve ser dos seres mais desprezíveis do planeta. Aproveita-se da ambição, da fé e da ignorância matemática das pessoas para tirar dinheiro. E esse foi altamente deslavado, pois usa o nome de Deus em tudo, para dar mais 'credibilidade' ao negócio "honesto" que é este. E mais, ainda é um amor de pessoa, pois pagou o dízimo, pagou o imposto de renda e fez um espaço para crianças necessitadas.

Acho incrível a Bíblia ter em seus escritos as palavras relatadas no texto, inclusive pedindo para repassar R$ 2,00 para 5 pessoas. Isso é que é texto atual.

O engraçado é que nem conheço o Jean Marcell (pentekostes@hotmail.com) que lembrou de mim e me encaminhou esta forma de enriquecer licitamente e com a ajuda de Deus.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Kyle

4 comentários até o momento. Que tal deixar o seu?
Um dia, quando eu era calouro na escola, vi um garoto de minha sala caminhando para casa depois da aula. 

Seu nome era Kyle.

Parecia que ele estava carregando todos os seus livros.

Eu pensei:

'Por que alguém iria levar para casa todos os seus livros numa sexta-feira?

Ele deve ser mesmo um C.D.F'!

O meu final de semana estava planejado (festas e um jogo de futebol com meus amigos Sábado à tarde), então dei de ombros e segui o meu caminho.

Conforme ia caminhando, vi um grupo de garotos correndo em direção a Kyle.

Eles o atropelaram, arrancando todos os livros de seus braços, empurrando-o de forma que ele caiu no chão.

Seus óculos voaram e eu os vi aterrissarem na grama há alguns metros de onde ele estava. Kyle ergueu o rosto e eu vi uma terrível tristeza em seus olhos.
Meu coração penalizou-se! Corri até o colega, enquanto ele engatinhava procurando por seus óculos.
Pude ver uma lágrima em seus olhos. Enquanto eu lhe entregava os óculos, disse: 'Aqueles caras são uns idiotas! Eles realmente deviam arrumar uma vida própria'. Kyle olhou-me nos olhos e disse: 'Hei, obrigado'!

Havia um grande sorriso em sua face. Era um daqueles sorrisos que realmente mostram gratidão. Eu o ajudei a apanhar seus livros e perguntei onde ele morava.

Por coincidência ele morava perto da minha casa, mas não havíamos nos visto antes, porque ele freqüentava uma escola particular. 

Conversamos por todo o caminho de volta para casa e eu carreguei seus livros. Ele se revelou um garoto bem legal.

Perguntei se ele queria jogar futebol no sábado comigo e meus amigos. Ele disse que sim. Ficamos juntos por todo o final de semana e quanto mais eu conhecia Kyle, mais gostava dele. 

Meus amigos pensavam da mesma forma.

Chegou a segunda-feira e lá estava o Kyle com aquela quantidade imensa de livros outra vez! Eu o parei e disse: 

'Diabos, rapaz, você vai ficar realmente musculoso carregando essa pilha de livros assim todos os dias!'.

Ele simplesmente riu e me entregou metade dos livros. Nos quatro anos seguintes, Kyle e eu nos tornamos mais amigos, mais unidos. Quando estávamos nos formando começamos apensar em faculdade.

Kyle decidiu ir para Georgetown e eu para a Duke. Eu sabia que seríamos sempre amigos, que a distância nunca seria problema. Ele seria médico e eu ia tentar uma bolsa escolar no time de futebol. Kyle era o orador oficial de nossa turma. Eu o provocava o tempo todo sobre ele ser um C.D.F. 

Ele teve que preparar um discurso de formatura e eu estava super contente por não ser eu quem deveria subir no palanque e discursar. 

No dia da formatura Kyle estava ótimo.

Era um daqueles caras que realmente se encontram durante a escola. 

Estava mais encorpado e realmente tinha uma boa aparência, mesmo usando óculos.

Ele saía com mais garotas do que eu e todas as meninas o adoravam! 

Às vezes eu até ficava com inveja.

Hoje era um daqueles dias. Eu podia ver o quanto ele estava nervoso sobre o discurso. Então, dei-lhe um tapinha nas costas e disse: 'Ei, garotão, você vai se sair bem!'

Ele olhou para mim com aquele olhar de gratidão, sorriu e disse:

-'Valeu'! 

Quando ele subiu no oratório, limpou a garganta e começou o discurso: 

'A formatura é uma época para agradecermos àqueles que nos ajudaram durante estes anos duros. Seus pais, professores, irmãos, talvez até um treinador, mas principalmente aos seus amigos. Eu estou aqui para lhes dizer que ser um amigo para alguém, é o melhor presente que você pode lhes dar. Vou contar-lhes uma história:' 

Eu olhei para o meu amigo sem conseguir acreditar enquanto ele contava a história sobre o primeiro dia em que nos conhecemos. Ele havia planejado se matar naquele final de semana! Contou a todos como havia esvaziado seu armário na escola, para que sua mãe não tivesse que fazer isso depois que ele morresse e estava levando todas as suas coisas para casa.
Ele olhou diretamente nos meus olhos e deu um pequeno sorriso. 

'Felizmente, meu amigo me salvou de fazer algo inominável!' Eu observava o nó na garganta de todos na platéia enquanto aquele rapaz popular e bonito contava a todos sobre aquele seu momento de fraqueza. 

Vi sua mãe e seu pai olhando para mim e sorrindo com a mesma gratidão. 

Até aquele momento eu jamais havia me dado conta da profundidade do sorriso que ele me deu naquele dia.

Nunca subestime o poder de suas ações. Com um pequeno gesto você pode mudar a vida de uma pessoa. Para melhor ou para pior. 

Deus nos coloca na vida dos outros para que tenhamos um impacto, uns sobre o outro de alguma forma.

PROCURE O BEM NOS OUTROS!