Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Como ter um negócio de sucesso

Quem é que nunca sonhou em ter o próprio negócio, sem chefes, e com chance de ganhar um bom dinheiro? Imagina, algo seu, com a tua cara, teu formato, onde será livre para modificar de acordo com a tua crença e instinto, onde não terá chefes chatos, que pegam no pé. Imagino que um bom percentual das pessoas sonham com isso.

Mas transformar este sonho em realidade não é algo fácil neste país. A burocracia imperante aqui inibe os impulsivos. É tanto documento para pegar, taxas que qualquer pessoa que não tenha vocação de super-herói para por aqui. E olha que nem estou lembrando do trabalho que dá no caso de querer fechar o próprio negócio. Esse sim leva muitos anos e custa muito, mas muito caro mesmo.

Mas você, herói, lutou bravamente e venceu sem ímpeto e as burocracias e enfim conseguiu montar um negócio. Parabéns! Mas este é somente o começo. Ok, você tem o negócio, mas como ter sucesso com ele? Como fazer ele prosperar, ou na atual conjuntura, sobreviver?

Preparem-se, darei a receita para o sucesso. E ‘de grátis’. Juro que não é charlatanismo.

Quem ter um negócio de sucesso? Simplesmente “respeite o cliente”.

É, é isso mesmo, respeitar o cliente, nada mais. Não tem que investir fortuna em marketing, comprar móveis caros para impressionar os clientes, nem exigir roupas impecáveis dos funcionários, nem disponibilizar cafezinho, água e pequenos mimos aos clientes. Basta respeitar.

É uma regra tão poderosa que independe de crise econômica, de setor da economia e qualquer outro fator. E talvez por ser tão simples é que as pessoas não creem, ou talvez por isso não ser vendido nos ‘emibieis’ da vida, afinal, este conselhos nossos pais e avós dão de graça, e o deles tem que ser muito bem pagos.

Quando eu digo respeito não me refiro a cordialidade, dando o sorriso amarelo-Wal Mart, ou servindo cafezinho conforme aprendido em cartilha. Respeito é algo muito diferente. Respeito não é sempre dizer sim ao cliente (o cliente tem sempre razão – blahhhhh), mas sim fazer com que o relacionamento com ele seja feito de forma respeitosa, com valores, princípios, e ciente que ele é quem pode financiar teu sonho.

Aos que quiserem, darei alguns maus exemplos de ocorridos comigo, para mostrar como o desrespeito pode afetar e muito um negócio, como uma bola de neve.

Recentemente comecei a ver alguns orçamentos para a minha casa, e então foi necessário marcar um horário para que a pessoa viesse até minha casa fazer o seu trabalho. E o que ocorreu mais de uma vez? A pessoa não veio no horário. Infelizmente isso não é novidade. E quando falo de respeito, caso não desse para chegar no horário, que ligasse antes, avisando. Pois assim evitaria deu ter que sair do serviço, perder horas de trabalho, me deslocar. Mas nem isso se dão ao trabalho. Depois dizem que a crise está brava.....

Há um tempo atrás precisei tirar umas fotocópias, fui até a empresa com as folhas marcadas para serem tiradas. Perguntei quando estaria pronto, e me falaram que às 13h. Pois bem, cheguei no horário e só para ser atendido levei mais de 15 minutos (será que custava parar para ver se era algo mais rápido?). Quando fui atendido obtive a resposta que não, que ainda não haviam tirado. Era para eu voltar mais tarde. Voltei para o serviço e depois voltei no horário combinado e bingo, ainda estavam tirando. Como estava no meio do caminho continuei lá. Ao terminar a moça perguntou se eu queria que organizasse as folhas (caramba, o serviço delas é somente esse, será que organizar é um ‘plus a mais’?, ou será que tem um tipo de cliente que adora folhas aleatórias?), como já estava perdendo muito tempo disse que não. Voltando ao meu serviço tive que organizar a bagunça delas e minha surpresa é que tiraram errado. Certamente elas começaram tirando do começo para o fim, pararam para atender alguém e depois continuaram do fim para o começo, ou seja, duplicaram páginas e deixaram de tirar de outras, além de terem esquecido de tirar de uma parte. E lá vou eu, hiper feliz, solicitar que acertem a bagunça. Depois dizem que a crise está brava.....

Vou eu então me aventurar em uma lanchonete, e solicito um lanche. Quando cheguei estava bem vazio, sem tumulto. Pois bem, fiquei lá e espero, espero, espero, espero, etc. Quando já estava muito fulo da vida perguntei se demoraria muito e imaginem a resposta, claro que não, estava vindo. E enquanto isso via pessoas chegando, pedindo, comendo e pagando, e eu lá. Depois de muito tempo chegou, mas certamente o gosto já estava péssimo. E quando fui pagar, questionei o motivo da demora, e o que ouvi foi que demorava mesmo, que eles não tinham as coisas prontas, para que ficasse tudo fresco. Acho que eles foram plantar o boi, regar, esperar crescer para poder cortar e pegar a carne. Depois dizem que a crise está brava.....

E finalmente o caso do Wal Mart. Fui lá decidido a comprar um DVD player. Somente gostaria de conversar com o vendedor para ter uma idéia melhor dos recursos disponíveis, pontos bons, pontos ruins. Pedi para um funcionário, mas ele estava ocupado e disse que voltaria. Fiquei esperando. O tempo passa, passa, passa..... Quando ele passou novamente o chamei, mas ele ainda estava ocupado. O tempo passou, passou, passou e eu desisti. Fiquei quase 1h esperando e nada de alguém me atender. E olha que eu estava com o dinheiro, era só decidir qual e pagar. Fui embora e comprei em outro lugar. Depois dizem que a crise está brava.....

Tenho certeza que vocês possuem exemplos similares aos meus. Será que é tão difícil respeitar a pessoa? E depois, quando entrarem em falência, dirão que a culpa é da crise, do mercado, da competitividade, da falta de preparo, do bispo....

3 comentários:

Nanda disse...

Concordo plenamente!!!!
Pensei que isso não acontecia em São Paulo, pois sempre achei o povo daí exemplo de profissionalismo.
Recentemente precisei comprar uma memória para meu computador e fui numa assistência técnica perto de casa, recém aberta. Perguntei e a moça disse que o técnico não havia chegado, mas poderia ligar em uma hora e saber a resposta, passei 2 dias ligando e o rapaz nunca chegava, então ela disse que assim que tivesse uma resposta me ligava... até hoje, já faz uma semana. Eu já comprei na concorrência. Depois dizem que a crise está brava...

angel disse...

Estamos cansados de ver coisas como essas que você relatou.É verdade que um pouquinho de atenção não faz mal a ninguém. Não faço questão de ser atendida na hora, sei que muitas vezes o funcionário está ocupado mesmo, correndo e se desdobrando, para dar conta do serviço, pois o patrão poupa economizando na quantidade de pessoas para te atender, assim o lucro é maior.
Mas, o que vemos na maioria das vezes, é descaso mesmo, falta de vontade ou falta de respeito.
Tenho certeza que qualquer negócio pode virar um pote de ouro se tiver como princípio respeito e atenção.
Eu sou prova disto. Tive uma franquia de origem japonesa onde o objetivo era aprender matemática e português através de um método autodidata.
Claro que era necessário a orientadora por trás (mas deixemos isto de lado) dando atenção, carinho e acima de tudo muito respeito dispensado aos pais e alunos.
Nunca fiz propagandas, nem ofereci cafezinho, nem tive receio de perder alguns alunos quando via que eles não tinham interesse nos estudos.
Nunca foi minha meta aumentar a quantidade mas sim manter a qualidade.
Muitas vezes "convidei" um aluno a parar de fazer o curso porque não fazendo as lições diarimente não obtinha os resultados e assim perdia seu tempo, o meu e o dinheiro de seus pais.
Obtive com esta minha maneira de agir quase 100 alunos (recorde para uma cidade pequena) e os resultados em relação aos alunos adiantados em sua série escolar era altíssimo. Tinha sempre muitas crianças premiadas por estudarem conteúdos avançados. Do mesmo modo que respeitava os alunos e pais sempre cumpri fielmente minhas obrigações em relação ao cumprimento dos royalites para com a empresa.
Porém, um dia, o envio do pagamento foi extraviado pela agência do correio e, informada do caso, tratei de encontrar outra maneira de pagar. Assim mesmo recebi uma carta da empresa onde eu deveria retratar-me, pedir desculpas pelo atraso.
Ok, sei que era praxe da empresa, mas existem casos e casos. Por 10 anos seguidos nunca atrasei um dia sequer, nem mesmo aquele era falta minha, pois o que ocorrera era algo alheio à minha vontade. Achei um tremendo desrespeito para com uma professora que sempre lutou para elevar o nome dessa franquia e por seus alunos. Bem, hoje eles não me têm mais no seu quadro de professores. A unidade passou por outras pessoas que acabaram desistindo e aquele brilho nunca mais eles tiveram na cidade.
Quem ganhou? Quem perdeu?

Respeito é tudo.
Angel

blogdocatarino.com disse...

Os fatos que você narrou acontecem sempre, parece que é de propósito, para que não voltemos mais lá incomodar eles.
Realmente o respeito é o principal item no relacionamento entre pessoas ou entre empresas e pessoas e até entre empresas.