Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

domingo, 5 de junho de 2011

Mas que saco!

Ano que vem entrará em vigor no estado de SP uma lei proibindo as sacolinhas plásticas que os mercados distribuem para transportarmos com maior facilidade nossos produtos.

Quero entender qual o ganho disso? Certamente o consumidor não ganhará nada.

Antes que ambientalistas se queixem que isso destrói o meio ambiente, que provoca o entupimento de bueiros, que se acumula em rios e tudo mais quero deixar claro o motivo pelo qual digo que não há ganho.

A sacola plástica serve para quê? Ao menos para mim, serve para que eu possa embalar o lixo, tanto do banheiro quanto o orgânico, para que seja possível dar um destino a ele de maneira mais fácil, além de ajudar a manter a higiene. Qualquer pessoa sabe que deixar os alimentos ou o lixo do banheiro em contato direto com a lixeira gera uma sujeira muito maior, e que será necessário limpar com uma frequência muito grande (e nisso dá-lhe água, produtos de limpeza…). Deste modo, as sacolas plásticas são de extremos auxílio.

E se proibindo as sacolinhas plásticas o que faremos? Passaremos a comprar as sacolas de lixo dos mercados, e continuaremos jogando estas sacolas no lixo, para que depois a cidade dê o destino correto. Deste modo, para continuarmos a fazer a mesma coisa a única coisa que mudará é que pagaremos mais. Sem contar que o preço das sacolinhas “grátis” que o mercado nos “dá” é incluído no valor dos produtos, afinal, é um custo, e todo custo de um estabelecimento é custeado pelos consumidores. Alguém acredita que com a proibição das sacolinhas os mercados diminuirão o preço dos produtos? Eu aposto que não.

Ah, mas os sacos próprios de lixo são feitos com material menos agressivo ao meio ambiente, pois são feitos parcialmente com materiais recicláveis (fonte). Ué, então por que não obrigar então a todas as sacolas serem feitas de material reciclado? Aí realmente diminuiríamos o impacto ambiental, e ainda por cima não aumentaríamos os nossos gastos. E nem o mercado, pois com um aumento da demanda o preço da sacola reciclada tende a diminuir.

Em um mercado da minha cidade há uma forma diferente para incentivar a diminuição do consumo de sacolas plásticas, o qual eu acho interessante. Se em uma compra você não utilizar nenhuma sacola plástica você terá um desconto de R$ 0,03 a cada 5 itens que forem comprados, ou seja, se comprar 50 itens então terei R$ 0,30 de desconto. Normalmente eu levo as sacolas retornáveis e não utilizo as sacolas plásticas, ganhando o desconto, porém quando eu preciso das sacolas plásticas devido ao lixo então abro mão deste valor, e utilizo normalmente.

Creio que bastaria uma solução dessa, mais a obrigatoriedade de se produzir as sacolas plásticas com materiais reciclados seria uma solução muito melhor para o meio-ambiente e para os consumidores, porém como isso ainda “incentivaria” a produção das sacolas isso “pega mal” para nossos queridos representantes, então é melhor demonstrar “preocupação” proibindo e tratando como vilão da destruição do planeta, mesmo que a população continue utilizando as sacolas, porém agora compradas, e que nossos queridos representantes continuem a incentivar o consumismo desenfreado e não façam nem seu dever de casa de dar o tratamento adequado ao lixo, mesmo recebendo multas altíssimas.

5 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Uma coisa que eu sempre pensei foi sobre isso também. Mesmo que não usemos as sacolas plásticas, usaremos os sacos plásticos de lixo para descartar as coisas. O que me leva a deduzir que o erro não são as sacolas plásticas, mas sim o homem sem organização e consciência, que não usa de forma correta as coisas que tem.

angel disse...

Interessante é que se preocupam com as sacolinhas e o restante das embalagens????????? por acaso são feitas de que???? O fato é qe hoje usamos muuuuuuito material inorgânico e produzimos muito lixo.
O Brasil, pela imensidão de seu território e pela quantidade de recursos naturais nunca se preocupou com o destino do lixo e nem com o desperdício. Sem voltar muito no tempo, embro-me que se produzia quase nada de lixo. Exemplo, o leite vinha em garrafas de vidro, laváveis e reutilizáveis, assim também se fazia com o óleo e o vinagre. sempre que se precisava de algum destes ítens bastava levar seu litro e o dono do armazém o enchia de novo. O arroz e feijão se comprava a granel e vinha em sacos de papel e assim todos os outros ítens. A compra vinha numa grande caixa de madeira, que retornava ao dono do armazém. o lixo que ficava nas casas era somente o úmido, retos de comida que era aproveitado pelas galinhas, cães e gatos. Hoje até eles mudaram e comem só ração.
Melhor ou pior??? Não sei, mas acho que a mudança deveria ser mais radical, se é para preservar então comecemos com a educação do povo, educação alimentar para evitar desperdícios, a coleta seletiva e postos onde as pessoas possam depositar de maneira organizada aquilo que é reciclável e aquilo que serve para compostagem. Sem isto, não vejo possibilidade de mudanças.
Qualquer outro tipo de ação cai na frase : "é apenas para inglês ver".
Abraço
Angel

UlmaraBarbieri disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

concordo com tudo que foi dito, acho que vão proibir as sacolas plásticas pra termos que comprar aquelas sacolas ecológicas, que com certeza são fabricadas nas empresas de parentes das pessoas que fizeram essa lei, pois nenhum político tomaria uma decisão dessa sem ter algo em benefício próprio

Críticas e Polêmicas - Catarino disse...

Carlos
Temos pensamento parecidos sobre esse golpe das sacolas. Pelo que falam se as sacolas forem extintas não haverá mais nenhum problema com lixo.