Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Outra visão sobre a crise

Vou fazer um slideshow para você. 
Está preparado? 
É comum, você já viu essas imagens antes. 
Quem sabe até já se acostumou com elas. 
Começa com aquelas crianças famintas da África. 
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele. 
Aquelas com moscas nos olhos.
Os slides se sucedem.
Êxodos de populações inteiras. 
Gente faminta. 
Gente pobre. 
Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens.
No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto. 
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados. 
São imagens de miséria que comovem. 
São imagens que criam plataformas de governo. 
Criam ONGs. 
Criam entidades. 
Criam movimentos sociais.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza. 
Ano após ano, discutiu-se o que fazer. 
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.
Resolver, capicce? 
Extinguir.
Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta. 
Não sei como calcularam este número. 
Mas digamos que esteja subestimado. 
Digamos que seja o dobro. 
Ou o triplo. 
Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse. 
Não houve documentário, ONG, lobby ou pressão que resolvesse.

Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia. Bancos e investidores.

Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar. 
Se quiser, repasse, se não, o que importa? 
O nosso almoço está garantido mesmo...

5 comentários:

angel disse...

É, mas se resolverem o problema da fome, muitos perderam suas plataformas política, muitos não terão mais seus assessores e laranjas, muitos ficarão sem suas verbas para "repassar" para as entidades carentes, muitos jornalistas perderão seus empregos por não terem mais o que mostrar nos tele-jornais, muitos apresentadores ficarão sem seus programas domingueiros de salvadores da pátria...
Meu, seria uma revolução tão grande...
Mas eu adoraria assistir e participar de tudo isto e um dia poder contar aos meus netos, como se conta um conto de fadas, que um dia houve senhores maus que deixavam criancinhas passar fome e como em todo conto de fadas, a maldade é sempre vencida.
Como eu gostaria que tudo isto não fosse só um sonho.
Abraço
Angela

Du disse...

Está tudo errado, tudo fora do lugar... valores invertidos... e eu estou cansada de tanta politicagem!

Carlos disse...

Adorei a estrutura do texto, na verdade não há interesse de investir no fim da fome e em educação, mas sim nos banqueiros e empresários que continuam a manter o mesmo esqueminha de controle político. A única arma da população que é maioria é a mídia, e quando os meios mais abragentes são dominados a gente tem atitudes independentes como as artes, e nossos queridos blogs.

Abraços

Sonia Regly disse...

Carlos,
Adorei seu texto. Posso publicá-lo no Compartilhando??? Coloco os créditos para vc e seu Blog, oK?????Aguardo resposta.

blogdocatarino.com disse...

Os governos tem sua sustentação mantida pelos poderosos, principalmente os banqueiros e por isso é que correram a ajudar.
Os famintos eles nem sabem que existem.