Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O que nos torna únicos?

Hoje no serviço surgiu uma discussão (Exame verbal de um assunto por meio de análise dos fatores positivos e negativos) sobre uma questão de um sistema, e estes fatores me levaram a pensar na questão que dá nome a este artigo. O que nos torna únicos?

É sabido que todos são diferentes, mesmo com a sociedade fazendo de tudo para sermos iguais, pensarmos iguais, agirmos iguais. Não há no mundo duas pessoas iguais, nem mesmo gêmeos ou pessoas criadas exatamente da mesma forma.

Retomo a pergunta: O que nos torna únicos?

O nome não é, pois alguns nomes existem em duplicidade, e mesmo que todos fossem únicos, caso o nome mudasse, deixaríamos de sermos nós? É comum as mulheres mudarem de nome ao casar, ou retirar alguns nomes. Se fosse o nome, assim que uma pessoa mudasse de nome deixaríamos de reconhecê-la, e isso não é verdade.

Então é o aspecto visual dela. Ah é? E se a pessoa cortar ou deixar o cabelo crescer, emagrecer, engordar, colocar lente de contato, se bronzear, perder um membro, deixaremos de reconhecê-la? Sem contar que mudamos muito ao longo de nossa vida, de bebês a velhinhos, e em toda essa existência sempre somos reconhecidos.

Podemos usar os recursos criados para o gerenciamento humano. É sabido que não existem 2 pessoas com o mesmo RG neste país (exceto falcatruas). Pronto, resolvido o problema? E as pessoas que não possuem RG, não podem ser únicos então? E as pessoas que mudam de RG, como os sob proteção judicial ou então quando as mulheres se casam, que pelo fato de adquirirem o sobrenome do marido precisam refazer os documentos e mudar a numeração (fiquei pasmo ao tomar ciência disso hoje)? Deixamos de reconhecê-las?

Tem a arcada dentária, a impressão digital, que certamente são únicos. Sei disso, e a polícia também, tanto que é um método utilizado para identificar as pessoas. Mas e se a pessoa perder um dente, ou tiver um corte no dedo, deixará de ser única?

Tem o DNA também, que este sim é único e imutável. Sei disso, mas com a clonagem, podemos ter mais de uma pessoa exatamente com o mesmo DNA, mas mesmo assim não serão a mesma pessoa.

Certamente existem inúmeras características que poderia questionar aqui neste artigo, mas minha idéia é pensar sobre esta unicidade, esta individualidade, não no sentido egoísta, mas sim no das características que definem uma pessoa. Os seres humanos possuem uma infinidade de características, as quais todas podem mudar, e mesmo assim continuaremos a reconhecer a pessoa.

Posso mudar meu cabelo, mudar meu tom de voz, minha fala, o idioma que falo, meu nome, meus documentos, os dentes e mesmo assim quem me conhece me reconhecerá. E se o mesmo ocorrer com vocês, certamente reconhecerão vocês também.
Não sei se consigo expressar para vocês a grandeza do que nos torna únicos. Deve ser algo tão imenso, valioso que supera as infinitas outras características. Não sei se isso seria alma, que numa definição do dicionário é “Conjunto das faculdades psíquicas, intelectuais e morais que caracterizam e personificam um ser humano”, pois nesta definição alma seria um conjunto, e caso eu mude um elemento do conjunto, conseqüentemente mudaria a alma.

Falo de uma coisa imutável, única, exclusiva, e tão bela que dentre bilhões de pessoas neste mundo podem ainda assim nos tornar diferentes. Pode ser difícil de passar a idéia, ou de ter uma palavra para expressar isso, mas é tão fácil reconhecermos isso, afinal, quantas pessoas que conhecemos que mudam diariamente e mesmo assim a reconhecemos?

E então, o que nos torna únicos?

5 comentários:

Patrícia Andréa disse...

Hum... Essa pergunta merece altas divagações=)
Mas acho q oq nos torna únicos mesmo é o fato de como utilizamos tudo isso q vc citou para usar no nosso dia-a-dia, fazendo com q nos tornemos únicos não só para os olhos de outrem, mas tb, e talvez principalmente, para os nossos!

Achei seu blog por acaso e adorei!=)

Aparece tb lá no meu blog!

Bjus!

Dragus disse...

Únicos?

A diferença que não fazemos para o mundo.

Se morro o único ser que efetivamente sentirá nossa falta será eu mesmo. E sem eu, eu não existo, o universo não existe nem nada mais, pois sem eu nada há.

Willy disse...

Antes de perguntar o que nos torna únicos, eu me questiono o que nos torna iguais? No máximo somos parecidos, jamais iguais. Quando muito chegamos a ter pensamentos idênticos, mas atitudes bem distintas... A partir do ponto que aceito tudo como diferente, único, exclusivo, original e imperfeito, sei que tudo se completa, e as funções podem se assemelhar, mas nada é completo o suficiente para ser independente.

André Gustavo disse...

Oi Carlos!

O que nos torna únicos é uma 'chave primária' ! :P

Mari goulart disse...

Ótimo texto!! Eu estava a procura desta pergunta... E encontrei seu blog, valeu cada segundo ler, muito bom!