Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Maioridade penal

Esta semana li uma crítica falando se neste país deveria ou não reduzir a maioridade penal. E a autora usou alguns argumentos os quais não entendo muito bem. Disse que somente um percentual pequeno de infrações é cometido por menores de 18 anos, e que tal ação não provocaria uma diminuição significativa nos índices de violência. É aí que eu questiono: o que uma coisa tem a ver com a outra? Quer dizer que como o índice é pouco então não é necessário prender? Onde essa pessoa aprendeu a argumentar? Se for assim, então também não devemos prender os adultos entre 34 e 36 anos, afinal, também é um pequeno percentual. Ou então não deveríamos prender os que possuem irmãos que começam com a mesma letra do próprio nome, pois este percentual também é pequeno.
Não delira Carlos, não é isso que ela está falando. É sim, ela (e certamente muitas pessoas também usam este argumento) justificou a não necessidade de prender menores de 18 anos por se tratar de um percentual pequeno. Ora, percentual eu posso ter para qualquer tipo de análise, como as que fiz acima. E isso não tem valor nenhum, é argumento inútil.
As pessoas são presas não porque tem entre 18 e 70 anos (não sei se essa é a idade limite superior), mas sim porque cometeram infrações, prejudicaram outras pessoas, prejuízos estes registrados em leis. Se o objetivo é esse, por que não aplicar também aos menores de 18 anos?
Aí vem uma cambada de ‘defensores dos fracos’ e diz que menor de 18 anos não sabe o que está fazendo. Faça-me o favor!!!! Não sabe? E por acaso estas pessoas crêem em fadas, que tocam a cabeça das pessoas quando completam 18 anos de vida extra-uterina com uma varinha de condão e então eles passam magicamente a saberem tudo o que estão fazendo? Passam a ser responsáveis plenamente por seus atos?
Piada tem hora. Toda pessoa, desde quando nasce, é responsável por seus atos. E deve ser tratada como tal. E assim como os maiores de 18 anos respondem por seus atos, mas podem ser absolvidos caso a justiça detecte a inocência dele, os outros também deveriam ser. Afinal, por que criar uma casta privilegiada, a qual a sociedade diz “filho, faça tudo de errado que quiser até os 18 anos, afinal, a lei permite”? Isso somente gera pessoas que aproveitam disso. Ou os próprios menores, ou então maiores que usam menores por saberem que nada acontece. Ou será que isso não ocorre neste país?
A escritora do artigo disse que deveríamos investir na educação da pessoa, para que ela não cometesse os crimes. Por isso não deveriam ir pra cadeia. Ora, e por que privilegiar somente os menores? Se a educação pode resolver, que faça isso para os maiores também. Ou eles não merecem oportunidade?
Seguindo a lógica da escritora, não deveríamos prender os menores, pois isso não diminuiria a violência. Partindo dessa premissa, então devemos destruir os presídios e acabar com as leis, pois mesmo com tudo isso os crimes continuam existindo. Então por que gastar dinheiro com legisladores, advogados, juízes? O crime continua existindo.
É preciso que fiquemos atentos aos argumentos utilizados. Defender ou não a manutenção da maioridade penal é um direito de todos, porém façam-no com argumentos válidos.

3 comentários:

Polêmica disse...

Não tenho certeza mas, pelo que andavam dizendo há um tempo atrás, parece que o Lula disse ser contra a redução mairodade penal porque isso não resolve o problema. Aì eu fico pensando: 'até parece que somente 1 coisa vai resolver o problemas' são várias modificações que resolverão o problema da violência, inclusive a redução da maioridade penal. Outra coisa que ue me lembrei quando você escreveu que até 18 anos podemos cometer crimes, eu me lembrei de uma coisa que o meu pai fala, que essa coisa de 'reu primário' é como se todo mundo tivesse o direito de cometer pelo menos 1 crime na vida, só a partir do segundo a gente vê se resolve (rs).

(eu raramente entro no msn mas, se vc quiser me add é julilipires@hotmail.com e sobre a faculdade eu já decidi, não vou fazer por puro idealismo meu, ainda mais depois que eu li o livro 'pai rico, pai pobre' agora é que eu não vou fazer mesmo' rsrs)

até mais!

Anônimo disse...

17/08/08 00:25am

Maioridade penal é um caso sério, se aos 16 anos (até antes disso), somos capazes de colocar uma vida no mundo, tb somos capazes de aceitar as penas da lei. Já ouvi muito a tal frase: cometi mesmo o crime, quando fizer 18 estou limpo. Bem eu encaro essa frase como uma baita tiração de sarro. Será que se ouvesse uma votação igual a das armas, seria aprovado maioridade penal para 16 anos? Estou certa que não, hoje em dia a sociedade cultiva plantinhas ruins, para mais tarde ter o direito e prazer de podá-las, o pior é que ainda reclamam do que eles criaram, pode uma coisa dessas :).


Shá Manzaro...

Anônimo disse...

Queridos

Pensar mais profundamente não dói, pelo contrário, o que dói é o pensamento superficial sobre tal questão. Existem muitos motivos para sermos contra a maioridade penal...basta pensar!!!!
Maioridade penal, nada mais é que
- Tirar a responsabilidade dos governantes e responsabilizar as crianças....pela falta de direitos
(ver constituição), pela falta de saúde e saúde mental, pela falta de
infância digna, pela falta de educação e cultura, etc...
- Tirar a responsabilidade dos pais e responsabilizar as crianças...pela falta de planejamento, pela falta de conciência, pela falta de estrutura, pela falta de amor, etc..
Ou seja....se dermos todas as condições para o desenvolvimento de um ser humano, não necessitamos de maioridade penal, pena de morte, etc... isto é conversa de imediatista, que prefere remediar á prevenir.
E detalhe...a penalidade seria aplicada (com certeza) somente aos pobres.