Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Rafinha Bastos

Estes últimos dias ocorreu um tremendo bafafá a respeito de uma piada que Rafinha Bastos fez após uma entrevista com a cantora Wanessa Camargo.

Ele disse que “comia ela e o bebê”.

Pronto, criou-se um alvoroço todo, muita matéria para vários jornais, programas de fofoca, jornais impressos. Certamente apareceram várias pessoas dizendo que isso que ele fez é isso, que é aquilo, que ele deve se retratar, que ele se acha acima do bem e do mal, e mais um monte de comentários.

Juro que tento entender o motivo de tanto alvoroço, porém não consigo.

Vocês podem ficar espantados e questionarem: “Mas Carlos, ele disse que faria uma atrocidade com um bebê, e como você não fica pasmo com isso?”.

Não fico pasmo pois não acho que ele falou isso, pois como meu pouco conhecimento da língua sei que as palavras possuem significados diferentes dependendo da pessoa, e a ironia, o sarcasmo e as analogias não explícitas também fazem parte de uma língua, porém isso não é algo tão direto de se entender, como o que “foi dito”.

Quantas vezes nós não dizemos quando um filho pergunta se pode fazer algo “Claro”, querendo dizer exatamente o oposto. Este é um recurso muito comum, principalmente com uma certa entonação na palavra.

Aí se alguém ouvisse poderia dizer que o pai autorizou o filho, sendo que na verdade o que houve foi exatamente o oposto.

O que quero dizer com isso é que palavras não são exatas, como os números, e o significado de uma palavra ou frase certamente é diferente de uma pessoa para outra.

Então será que o Rafinha disse exatamente o que “todo mundo” ouviu, ou “todo mundo” resolveu ouvir ofensa?

Vejo a frase do Rafinha como um elogio, isso mesmo, um elogio. Há uma expressão que diz “desta fruta eu como até o caroço”, que é utilizada para expressar algo que é muito bom. Claro que ninguém comerá o caroço de uma fruta, a pessoa somente está dizendo, de modo figurado, que a fruta muito boa, fora do comum.

Então, se pegarmos esta frase e “contextualizarmos” com a Wanessa resultaria na frase dita por ele. Uma simples analogia utilizando-se de uma expressão popular.

Estou viajando? Talvez sim, mas e se não estou? E se realmente o que houve foi este jogo de palavras, esta contextualização, este elogio a beleza da cantora?

Não estou aqui dizendo que ele pensou nisso, somente estou levantando uma possibilidade que ainda não vi sendo levantada em nenhum lugar, por nenhuma pessoa.

O que vi foi uma infinidade de pessoas revoltadas, descendo o pau, tecendo comentários extremamente grosseiros, classificando-o de inúmeros adjetivos nada simpáticos, e principalmente muita gente dodói por aí.

Parece que atualmente qualquer coisa faz com que as pessoas fiquem mal, tristes, deprimidas, e SE ofendam. Estamos em uma geração extremamente sensível, de pessoas mimadas, que qualquer coisa choram e se correm para as saias das suas mães.

É preciso pensar um pouco a respeito das coisas, utilizar situações como esta para ver se estão realmente fazendo algo de bom para o mundo ou somente seguindo a onda, que convenhamos, não está nada legal.

4 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Bom, a TV brasileira pra mim hoje em dia é uma cloaca bem fedida. Não defendo canal algum, pois hoje em minha opinião tudo está muito baixo nível.
Não sou moralista e acho cafona todo esse pseudo-moralismo em volta disso, mas também eu acho que hoje em dia muita coisa vulgar e sem graça está sendo considerada engraçada.
Vi muitas mulheres defendendo esse tal de Rafinha só porque ele é "bonitinho" e caras machistas defendendo ele porque acharam a piada engraçada. Eu acho que piadas tem hora e lugar para serem contadas e para o público certo. O que ele disse, embora não seja o fim do mundo foi de mal gosto. Que sirva pra ele aprender a escolher melhor as piadas no futuro e ter um pouco mais de bom senso.

Tiago P. disse...

O que me parece é qu estavam só esperando uma virgula fora do lugar para condenarem o Rafinha. Fazem a mesma coisa com o Danilo Gentilli, distorcem tudo o que é falado ou escrito.

Tudo coisa de gente mal comida. Por isso as vezes é até melhor mesmo comer ela e o bebê. Opa, melhor eu me calar.

Kinha disse...

Sinceramente, no meu entender o cara só quis dizer que a "comeria" grávida mesmo!

Anônimo disse...

O CQC perdeu 99% da graça sem o Rafinha! Volte, Rafinhaaaaaaaaaaa!