Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

terça-feira, 31 de março de 2009

Grandes problemas, idéias…melhor deixar pra lá

Recentemente vi uma reportagem sobre o Rio de Janeiro, onde o novo prefeito ordenou que os bancos das praças fossem dotados do recurso “antimendigo”. Os bancos possuem divisórias em pequenos espaços, impossibilitando assim que os mendigos deitem-se.

Vejam algumas imagens:

Essa mesma medida já foi adotada em SP, inclusive sendo maior que isso, tornando partes sobre os viadutos também antimendigo, chapiscando o chão para que eles não possam dormir.

Não gosto nem um pouco de ver pessoas dormindo em bancos de praças ou sobre viadutos, no entanto eles também não gostam disso, somente estão lá por falta de oportunidade ou de amparo, no caso de situações mais extremas. Tal ação é meramente estética, querem limpar a cidade para dizer que os problemas não mais existem. É mais uma vez esforço sendo empregado na consequência, e não na causa. E pior ainda, ao invés de resolver a consequência, estão maquiando a mesma. Conseguiram piorar mais ainda

E por que ocorre isso? Por que o brasileiro não sabe ser cidadão, não tem comprometimento cívico, responsabilidade social, senso de cobrança, e vota em qualquer um, em qualquer sorriso fácil com promessas de melhora da vida, as quais eles fazem questão de tornar ruins para que sempre possam prometer.

Mas já que a linha de ação deles é essa, proponho solucionar este problema do modo deles. Vejam a solução para que políticos demagogos e totalmente desinteressados em uma sociedade melhor, mais justa, mais humana não mais possam ser eleitos:

urna_chl

urna_chl_2Minha proposta é que a urna eletrônica não tenha o botão Confirmar, assim evitaremos – de modo semelhante ao aplicado com os mendigos – que políticos ruins sejam eleitos.

E então, essa idéia é boa?

---

ps. Quando disse que não gosto de pessoas dormindo em bancos e sob os viadutos, estava me referindo ao ato de dormir ao relento, sem conforto, sem opção, e não as pessoas.

4 comentários:

Dragus disse...

Um complemento, que se aplica exatamente ao caso aqui do Rio de Janeiro e talvez em todo o Brasil.

Esse investimento em impedir que mendigos durmam em espaços públicos existe porque o estado não pode por lei obrigar os mendigos a freqüentarem os abrigos da prefeitura.

E porque não dormem no abrigo?

No abrigo eles são obrigados a tomar banho, a cortar cabelo, estudar, participam de grupos de ajuda contra drogas e álcool, dentre outras medidas sócio-educativas.

Em geral a grande maioria, principalmente os mais jovens, são relapsos e preferem as ruas, onde podem cheirar cola a vontade e sempre tem um ou outro que dá dinheiro pra sustentar seus vícios (isso quando não oferece esse dinheiro em troca de assaltos/furtos).

Quando se diminui as opções de locais para mendigos dormirem você os obriga a ir pra esses abrigos, a deixarem a vida de vadiagem e procurarem ao menos justificar as próprias existências.

Falo isso porque aqui no Rio o que acontecia antes era: prefeitura recolhe pros abrigos e no dia seguinte todos foram embora.

Nanda disse...

Pergunto-me se abolíssemos os políticos esse tipo de situação acabaria mesmo.

Não acho que a solução é tão simples e esse tipo de vida existe desde que o homem fincou raízes e decidiu viver em comunidade fixa.

Deve ter mais coisas a serem computadas.

Carlos disse...

Muuuito bom. Excelente, eles sempre tentam maquiar a consequencia ao inves de combater a causa né. A da urna foi a melhor... É muito triste viver numa cidade maravilhosa como São Paulo e se deparar com um governo tão imbecil em alguns sentidos e um povo tão alienado em sua maioria.

Parabéns pelo blog.

blogdocatarino.com disse...

Em todas as cidades sempre dão um jeito de esconder os mendigos e moradores de rua, pois se não são vistos não existem.
A ideia da urna seria excelente, votamos e não elegemos.