Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Nivelar por baixo

Recebi de minha mãe um texto muito bom. É de Luciano Pires (http://www.lucianopires.com.br/). O texto que recebi é BÊ COM A BEABÁ , e uma frase que fez com que minha identificação com o texto dele fosse total é “Nunca me conformei com esse nivelamento por baixo”. Eu digo exatamente a mesma coisa, não consigo concordar com o nivelamento por baixo. Antes de continuarem meu texto sugiro que leiam o dele.

Bom, agora que leram também devem entender porque não gosto de marketing, muito menos o político.

E após ler este texto, me lembrei de algumas coisas que tem a ver com este assunto. Eu fiz 1 ano de matemática na UNESP, ano no qual fiz grandes amigos e aprendi muitos porquês de tudo o que eu fazia (sugiro que você, leitor, sempre procuro saber o porquê das coisas, certamente ela parecerá mais simples e de melhor assimilação). E uma das matérias era Cálculo, o terror para muitos dos alunos. Pois bem, o meu professor tinha uma forma de atuar. Ele explicava a matéria, e depois mandava ver nos exercícios do livro, era uma relação grande para fazermos. Mas ao invés de cada um por si, ele montava grupos de 4 pessoas. A primeira formação foi por convivência, mas a partir da primeira prova ele começou a montar os grupos, utilizando a seguinte forma. Ele pegava a pessoa da maior nota e juntava com a da pior nota. O segundo melhor com o segundo pior, e assim sucessivamente. O objetivo certamente era permitir que um que tinha maior conhecimento ajudasse os demais, o qual é muito bom. Mas a parte boa disso parava aqui para mim. Além disso, os alunos não poderiam ir para o próximo exercício enquanto todos não tivessem terminado e compreendido. Era aí que o bicho pegava pra mim. Em matemática, sempre fui bem. O meu nível era superior aos demais naquela disciplina, e eu seguia o meu ritmo, até porque não consigo ver como parar raciocínio no meio e prosseguir depois. O processo de raciocínio não permite tal parada. É um pensamento atrás do outro, criação de relação entre as coisas. E também tem a questão que algumas pessoas do grupo realmente não entendiam aquilo, não era (para alguns ainda somente) a praia deles, e não conseguiriam nadar tranquilamente. E quando o professor brigava comigo eu sempre ficava bravo, afinal, ele estava exigindo que minha capacidade fosse diminuída, se igualasse a mais baixa capacidade. E isso eu não aceitava, tanto que independente do que ele falava eu continuava a fazer os exercícios. Porém quero deixar muito claro que sempre que alguém pedia ajuda, ou precisava de reforço de conceitos, eu parava o que estava fazendo e ajudava, sem dar a resposta, mas sim tentando fazer a pessoa pensar e chegar na resposta, para aprender a fazer.

Mesmo que a intenção dele fosse boa, que era o de ajudar, o que acabava acontecendo é o nivelamento por baixo.

E esse nivelamento por baixo acaba por estimular as pessoas a nunca se esforçarem para ser melhor, para se desenvolverem, afinal, se quem está melhor que eu terá que diminuir o nível, por que eu haveria de melhorar?

E tem outra coisa que me incomoda sempre. Programas de TV também incentivam a burrice. Vamos pegar um exemplo. Tem o programa Roda a Roda (ex Roletrando) onde as pessoas precisam dizer letras que podem conter nas palavras ocultas, e cada letra acertada dá um prêmio e facilita no processo de descoberta da palavra. É aí que vejo o problema. A maior dificuldade está em descobrir com poucas letras já descobertas, pois aí a pessoa tem mais trabalho. Mas quanto menos letra, menor o prêmio. Então, para que a pessoa ganhe mais precisa ter mais letras descobertas. Agora, se uma pessoa é inteligente e rapidamente descobre, ganha menos dinheiro, porém se a pessoa for menos inteligente e demorar mais para descobrir, ganha mais dinheiro. Isso não é um incentivo a ser ignorante? Afinal, se a pessoa souber com 1 letra só, que benefício terá? Nesse caso acho que ao invés do valor ir somando, poderia ser diminuído de um valor inicial, ou seja, para cada letra descoberta – o que facilita o trabalho – o valor será retirado. Deste modo estar-se-ia incentivando a pessoa a ser melhor, e não pior.

Certamente poderia escrever vários outros casos, mas creio que estes já sejam o suficiente para mostrar que com esta postura estaremos fadados a sermos sempre assim, não sairmos do lugar, não aprendermos coisas novas.

5 comentários:

Raquel El-Bachá disse...

As pessoas se acomodam demais com esse nivelamento por baixo.
Quando vc falou da faculdade e das aulas de matemática lembrei que quando estava no ensino médio meus colegas me disputavam para fazer trabalhos de literatura pq eu era uma das poucas pessoas que sempre lia os livros e era boa aluna na matéria. Vai ver que foi por isso que eu tomei raiva de trabalho de grupo. Ninguém merece trabalhar com gente que gosta de se encostar.
Beijos.

GUILHERME PIÃO disse...

Concordo...
Quando estudava era contra a trabalhos em grupos, acho que tem que ser individual pois só assim você pode conhecer o potencial do individuo.
Trabalhos em grupos nivelam todos por baixo...os que tem maior potencial tendem a relaxar e a perder a vontade e os de baixo não conseguem acompanhar ou não querem...
Abraços

Meus Detalhes disse...

Noite Henrique :).... seu post caiu como uma luva no que estou vivendo na faculdade... Modelagem De Dados (que vc conhece bem) já está bem claro em minha mente, não tendo assim problemas com a matéria. Ao ver que os demais colegas de sala estavam com dificuldades eu fui falar com o professor sobre o método de ensino dele, ele me escutou muito bem, e adivinha? Me disse que o semestre estava acabando e que ficava feliz que eu tinha aprendido e não precisaria mais de ajuda.

*Como assim não precisaria mais de ajuda??? Ter mais facilidade no aprendizado não quer dizer que não precise mais do ensino.

*Perai e os demais como ficam???? Todos tem que ter a mesma oportunidade sanando assim todas as suas dúvidas.

Fiquei meio sem graça pela resposta, veio na mente como se fosse " Vc Aprendeu Para Que Se Preocupar Com Os Demais???". Fico triste ao ver tais ações de seres que se dizem Humanos. Não me nivelei, mas assim como vc meu amigo estou ajudando muitos e fico feliz por poder fazer isso.


Beijão e Fique Com DEUS!

Fernu Fala - II disse...

olá

esse nivelamento por baixo de que você fala agora está em todo lugar, parece que quanto mais inteligente somos ou sabemos determinada matéria nos tornamos menos essenciais, para não dizer desprezados. É como se só saber a resposta já fosse suficiente, o saber não, se já sabemos a resposta pra quê se esforçar né... gostei muito desse post, concordo com q vc escreveu

valeww
gde abrsssssss
até mais

Dragus disse...

O nivelamento por baixo é uma das maiores pragas que vem acompanhada da onda do "politicamente correto".

Espero que logo logo a verdade volte a ser a temática e não a verdade dos patrocinadores da imprensa. =/