Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

domingo, 16 de setembro de 2007

Heróis de verdade

O nome desse título é o mesmo do livro de Roberto Shinyashiki, o qual recomendo que leiam. A mim ele me proporcionou uma boa reflexão, e reforço de vários conceitos.

Que eu saiba, os seres humanos, desde sempre, sempre buscam se espelhar em heróis, pessoas diferenciadas, que possuem qualidade as quais ainda nos faltam, então eles nos servem de referências, de um norte para nossa vida. E isso é muito bom, nos ajuda a chegar a algum lugar, a buscar algo que ainda não tenhamos, a sermos amanhã diferente do que somos hoje. E esta é uma das maiores riquezas do ser humano, essa imensa capacidade de se adaptar, evoluir, desenvolver-se, até o fim de sua vida.

Então ter heróis é bom, certo? É o que eu acredito, e tenho os meus heróis, certamente. Mas há um problema. E o problema não é ter heróis, mas sim ter os heróis errados. Como dito no parágrafo anterior, heróis são pessoas às quais nós procuramos nos espelhar, então vai a pergunta: quais são as pessoas (ou tipos de) que a sociedade hoje em dia mais valoriza e procura se espelhar?

Possivelmente nas respostas estarão grandes artistas, empresários, esportistas, modelos. Todos ricos, com carrões, mansões, podendo viajar de férias a cada três meses para qualquer canto do planeja, sempre bem vestidos e muito paparicados, idolatrados. Para grande parte da sociedade estas pessoas são sinônimos de sucesso, de felicidade, e é o que devemos ser para sermos também felizes e pessoas de sucesso.

Pergunto então: estas pessoas são realmente felizes? Realmente elas tiveram sucesso em sua vida? Obviamente não posso afirmar, mas quem quiser pode pesquisar um pouco a vida destes famosos. Quantos casaram-se somente uma vez? Quantos não se envolveram em drogas (considero álcool como uma)? Quantos conseguem ver seus filhos crescerem, estando presente e fazendo diferença no dia a dia do filho? Certamente poucos, de qualquer um destes tipos que citei.

Então todos os citados serão infelizes, amargurados? Claro que não, nem estou discutindo isso. O que me preocupa é a preocupação das pessoas em serem iguais a eles, acharem que somente com a fama igual a deles, com o dinheiro igual ao deles é que poderão ser felizes, e como isso é impossível (se todos forem iguais, não haverá mais famoso ou desconhecido, rico ou pobre), tornam-se infelizes, acham que são um fracasso, entram em depressão, tomam remédios, espalham sentimentos negativos, desestímulos por onde quer que passem.

Passam a vida toda lamentando não serem tão ricos quanto um empresário, tão belas quanto uma modelo, tão talentosos quanto um esportista, sendo que o que as pessoas precisam fazer é comparar-se como o melhor que elas podem ser em cada atividade. Sem jamais comparar-se com os outros. Mas Carlos, aquele esportista consegue correr 100m em 10s, e eu somente consigo correr em 20s. Isso é um fracasso.
Será? Será que este corredor consegue trabalhar tão bem com internet como eu trabalho? Possivelmente não, então ele passou a ser o fracasso. O que quero dizer com isso? Todos nós temos habilidades específicas, as quais conseguimos fazer mais facilmente do que outras. Existem milhões de qualidades a serem desenvolvidas, e é impossível ser bom em todas, na verdade é impossível ser bom em mais do que algumas. Então por que comparar-me com os melhores de cada atividade? Bobagem isso.

Creio que os heróis que escolhemos é que devem ser bem escolhidos. Quem não acha herói uma pessoa com a função de tratorista de uma prefeitura que após a ordem de despejo de uma família, devendo destruir a casa, se recusa, e vai preso por isso? Quem não acha herói uma pessoa que cata lixo, que mora na rua, e que acha um envelope com muitos cheques e dinheiro e devolve este dinheiro? Ou então um faxineiro de um aeroporto que também acha dinheiro e o devolve? Quem não acha herói um pai e uma mãe, que morando em uma favela, com pouco dinheiro e pouca instrução, faz das tripas coração para que o filhos não seja 'adotado' pelo tráfico, seja honesto, trabalhador?

Para mim, estes são os verdadeiros heróis, os que fazem o certo mesmo tendo toda a chance (e justificativa) de fazerem o oposto, o comum.

Fazer boas ações quando temos toda a condição do mundo é simplesmente nosso dever. Fazer boas ações quando não temos estas condições é heróico.

2 comentários:

Ric disse...

A figura do TER algo, como roupa da moda, carro do ano, cabelos bem cortados, entre outros apetrechos vaidosos, é meramente fugaz e passageira.

A ostentação do brasileiro é comprar coisas pra mostrar aos amigos e colegas, viver num mar de fantasias com espelhamento ao que se passa na televisão.

O que realmente ocorre é o endividamento desenfreado do cidadão situado apenas pela vaidade. Não possui condições para pagar as devidas parcelas do que amealhou e desejou comprar.

Os verdadeiros heróis realmente são aqueles que fazem as coisas com o coração e bem-feito. Nas condições em que são impostas se viram e dão-lhe o máximo de si.

Vamos contemplar os verdadeiros heróis da vida cotiadana, que são inúmeros gestos pequenos mas que fazem diferença.

Helio disse...

Sobre o Texto Herois de Verdade

Realmente Carlos, a consumismo destroi a barreira das relações humanas, e pra muita gente, quem tem mais pode mais, se esta de terno, merece um bom dia, e esta de havaianas, talvez não...assim caminha a humanidade como dizia nosso colega Lulu Santos, mas chegara o tempo que isso tudo vai cair por terra, alias, mais e mais pessoas estão cada vez mais refletindo e mudando de atitude, ha muita gente com depressão, sindrome do panico e outras fobias que na verdade tem como principal problemas a falta de um Deus, seja ele qual for, não importa sua cresça , nao importa sua tribo, o que na verdade importa é ter uma conduta e esta conduta na verdade muitas vezes ja foi descrita nos ensinamentos de algum lider, com defeitos e qualidades por exemplo procuro guiar minha vida sob a doutrina do Bem, pois fiz de Jesus meu super Heroi, por isso nao me considero nem melhor nem pior que ninguem, apenas.....uma pessoa diferente...um abraço amigo Carlos, parabanes pela iniciativa do Blog, e principalmente pela iniciativa de um blog util, nao com fotinhas de autoexposição, porém me perdoe pela falta de indulgencia da ultima frase.
forte Abraço