Sobre este blog

Este nome é facilmente interpretado como 'Mundo Idiota', o que não deixa de ser, visto que atualmente vivemos em um mundo do TER e pior, do PARECER TER / SER, enquanto o que devemos valorizar é o SER. Mas o nome tem outro motivo. Uma pessoa que defende sua pátria é chamado de patriota, numa analogia a pessoa que defende o mundo seria o MUNDIOTA.
 

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Brasil, um país de tolos

Este país é muito engraçado. Parece-me que as pessoas se encantam por placebo, e não por coisas que efetivamente tenham efeito.

Em São Paulo o prefeito sancionou uma lei que impede pessoas de escutarem música em veículos públicos de transporte sem fone de ouvido, porque o que tem de gente sem respeito é um absurdo.

Isso pode soar como positivo, mas é necessário ir um pouco mais além.

Primeiramente já existe uma lei que impede barulho nos transportes coletivos. Ou seja, essa é só uma nova roupagem, mas lei mesmo existe, e até hoje nunca foi cumprida.

E essa nova lei é muito interessante, fico pensando se quem a fez realmente crê em sua eficácia, ou se somente quis tirar sarro da nossa cara, ou no máximo quis ter mais um projeto de lei emplacado para poder depois exibir estatísticas sobre seu "trabalho".

Segundo a lei, o passageiro que se sentir incomodado pedirá para o infrator respeitar a lei, e no caso de desobediência poderá acionar a polícia, que poderá então pegar o "meliante" e retirá-lo do ônibus.

Vamos analisar isso. Quem em sã consciência atualmente neste país vai falar com este tipo de pessoa para que ele possa gentilmente parar com o som? E mesmo que alguém fale, na recusa deverá procurar um policial. Ou seja, após o desembarque a pessoa deverá procurar por um policial, e caso consiga encontrar deverá falar "Seu policial, no ônibus tal havia um sujeito com tais características que estava com som alto, por favor corram atrás do ônibus antes que ele desembarque e o prenda".

Vamos falar sério, quem fará isso? Quem irá atrás de um policial depois que já se "livrou" do incômodo, ainda mais perdendo tempo, que sabemos que em SP o tempo é um dos mais escassos itens.

Mas vamos continuar otimistas, vamos pensar que a pessoa pediu para o cara baixar o som, que depois que desceu do ônibus achou um policial e falou do sujeito, que estes policiais foram atrás do ônibus, conseguiram o parar e retirar o sujeito do ônibus. Para todo mundo que comete uma infração deve-se haver uma punição, certo? Pois bem, nesta área houve uma mudança na lei prevista. A punição prevista era multa de 5 mil reais, e agora isso não existe. Não há punição alguma, isso mesmo, o sujeito só sairá do ônibus e nada mais ocorrerá.

Ou seja, mais uma lei que não muda nada.

Primeiramente a lei exige que os próprios passageiros reclamem, e sabemos que hoje até um simples bom dia pode ser motivo para o outro bater, imagina reclamar com estes sujeitos.

Se realmente quisessem acabar com isso poderiam fazer de outro modo. Sugiro um. O cobrador poderia ter a função também de zelar pelo bem estar dos passageiros. De que modo? Ele poderia ter acesso a um botão que acionaria os policiais mais próximos do ônibus, no sentido do trajeto do mesmo. Então quando o cobrador detectasse um destes sujeitos ele simplesmente acionaria o botão, e assim que possível num ponto próximo já teriam policiais esperando, e estes entrariam no ônibus e retirariam o sujeito, levando-o até uma delegacia para registrar o caso e cobrar a multa de 5 mil reais. Se não pagar, ficará preso até pagar a multa.

Com uma punição dessas há o risco sim de diminuir isso, afinal, se dói no bolso as pessoas tendem a com mais facilidade ficarem "educadas".

Claro que não há policiais disponíveis para todos os pontos, linhas, mas a questão não é nem essa. Mesmo com a sugestão que dei certamente haverá pessoas que não serão punidas, mas a questão é, se algumas pessoas começarem a ser punidas, sem chance de choro nem vela, essas punições começarão a serem difundidas e o risco de punição certamente fará com que a incidência de desrespeito caia. Afinal, quem usa transporte público estatisticamente são pessoas com menos posses, e uma multa de 5 mil reais pode ser um bom auxílio para o despertar da consciência.

Porém, do modo que foi feita, será só mais uma lei das que "não pegam".

5 comentários:

Anônimo disse...

Tem razão, uma vergonha esse país em que nós vivemos ...

Nilmar disse...

Eu dou risada alto com esse país miserável, hehehehe

André Daniel Rodrigues disse...

Esse País que moro é uma MERDA, UM NOJO, tenho vergonha de dizer que sou daqui

Bruno lima disse...

E tudo verdade esse pais e uma merda.


Bruno lima disse...

E tudo verdade esse pais e uma merda.